Algarve

Esta é a região mais turística de Portugal, com clima ameno, nem muito frio nem muito quente, oferecendo mais de 3000 horas de sol por ano, e também bons vinhos.

Nos últimos 50 anos, muitas vinhas no Algarve deram espaço para campos de golfe, complexos hoteleiros, e outras tipos de cultura além dos vinhedos. Estes, por sua vez estão em franco crescimento com plantação de videiras novas, nas regiões um pouco afastadas da costa, onde as típicas castas portuguesas dividem com as internacionais, como Syrah e Cabernet Sauvignon. Houve também investimentos em vinícolas, o que torna essa região promissora a curto prazo.

Apenas uma cooperativa vinícola ainda está em atividade no Algarve, na região da Lagoa. Mas há novas propriedades privadas, onde se percebe o investimento na melhoria do plantio e na qualidade de vinificação. Os vinhos do Algarve têm uma demanda excepcional entre os turistas que o apreciam.

O Algarve tem um embaixador de destaque para o vinho local: o pop star britânico Sir Cliff Richard, que é dono de uma propriedade na região.

Estilos de vinho

Obviamente o Algarve é uma das regiões mais quentes de Portugal, mas o mar o mantém mais frio do que a parte sul do Alentejo, especialmente sobre as colinas panorâmicas ao norte do Algarve, de modo que os brancos e rosés, costumam ser frescos e atraentes, enquanto que os tintos são aromáticos e elegantes.

Sub-regiões

Há quatro DOC no Algarve: Lagos, Portimão, Lagoa e Tavira, mas os melhores vinhos costumam se enfileirar entre os produtos do Vinho Regional Algarve. Estes tiram partido das regras mais flexíveis e fazem uma mistura mais ampla e interessante de castas autorizadas, com excepcionais surpresas.

 

Muitas vezes considerado o paraíso turístico de Portugal, o Algarve é uma região onde a área de vinha decresceu nos últimos anos. A indústria turística ocupou grande parte da área dos terrenos agrícolas e o vinho algarvio esteve próximo da extinção. Hoje, há de novo interesse vitivinícola na região e investe-se no desenvolvimento deste sector. 

O Algarve situa-se no sul de Portugal. É uma região com um clima muito específico: está próximo do mar, contudo também sofre a influência da montanha (serras Espinhaço de Cão, Caldeirão e Monchique). As serras são muito importantes na agricultura algarvia, pois protegem as explorações de ventos provenientes do norte. Deste modo, o clima é quente, seco, com reduzidas amplitudes térmicas e com uma média de 3000 horas de sol por ano.

O desenvolvimento do turismo na região, foi pouco benéfico para a viticultura. As vinhas foram substituídas por hotéis, aldeamentos turísticos e campos de golfe.

Nos últimos anos, a região está a receber investimentos para revitalizar o sector vitivinícola. Iniciou-se a replantação de castas, a modernização das adegas e praticaram-se novos métodos de produção de vinhos.

A região do Algarve é constituída por quatro Denominações de Origem: Lagos, Lagoa, Portimão e Tavira. Contudo, a maior parte do vinho produzido insere-se na designação “vinho regional do Algarve”. As castas tradicionais da região são a Castelão e a Negra Mole (nas variedades tintas) e a Arinto e a Síria (nas variedades brancas). A casta Syrah foi umas das castas utilizadas na replantação das vinhas e demonstrou total adaptabilidade ao clima da região, por isso tem sido muito plantada pelos viticultores. Os vinhos algarvios são suaves e bastante frutados.

 

Principais uvas brancas:

  • Siria, Arinto e Malvasia Fina (apenas o último em Lagos)

Principais uvas vermelhas:

  • Negra Mole, Trincadeira e Castelão

 

Vinho Verde | Trás-os-Montes | Porto e Douro | Bairrada | Dão | Beira Interior, Távora-Varosa e Lafões | Lisboa | Tejo | Península de Setúbal | Alentejo | Algarve | Açores | Madeira

Gostou desta receita? Vote, Comente, Partilhe-a com os seus contatos!