Como Guardar Vinho?

É comum ouvir-se dizer de algo que envelhece bem que “é como o vinho: quanto mais velho, melhor”; expressão bonita, sem dúvida, mas muitas vezes incorrecta.

Como somos de opinião que o vinho é para beber, não é para olhar para ele, ficamos satisfeitos por a maioria dos nossos vinhos poder ser apreciado plenamente logo após a entrega.

A verdade é que são poucos os vinhos que envelhecem bem, sendo a maioria dos vinhos produzidos em Portugal destinados ao consumo relativamente breve. Queremos com isto dizer que, se planeava guardar umas garrafas de Espadal deste ano, faço-o apenas por coleccionismo, não por querer bebê-lo pelas Bodas de Prata do seu casamento.

Contudo, há vinhos especiais que beneficiam de anos de guarda e cujo auge ainda está por chegar. É a pensar nesses – e não no Espadal – que aqui deixamos algumas dicas sobre como criar a sua adega particular e manter esse tesouro bem guardado.

Humidade

É importante que o local de guarda seja húmido, pois a ausência de humidade leva as rolhas a secar e mingar, assim permitindo o contacto de oxigénio com o vinho, adulterando-o.

Posto isto, não recomendamos que guarde o vinho numa piscina, pois o excesso de humidade estragaria os rótulos e a piscina ficaria inutilizada. 65%-75% de humidade são suficientes.

Uma dica: se o ar for muito seco na sua cave, experimente manter um pouco de água num vaso e vá repondo com alguma frequência.

Luz

“Fiat Lux” é uma expressão cheia de significado e podia ser o nome de um pequeno automóvel utilitário. No que respeita ao vinho, contudo, o ideal é que não se faça muita luz, pois a exposição prolongada aos raios UV presentes na luz solar ou na luz de lâmpadas fluorescentes terá impacto no sabor e aroma do vinho – e, habitualmente, não é um bom impacto, especialmente nos brancos.

A este respeito, importa recordar que a protecção da luz excessiva começa antes da compra do vinho, pois é frequente uma garrafa passar uma temporada de meses ou anos na loja ou armazém antes de ser vendida. Agora imagine o que sofre a pobre garrafa meses e meses na vertical, num hipermercado, com a temperatura a variar do armazém para a prateleira, sempre exposta à iluminação de lâmpadas fluorescentes, por vezes embutidas nas próprias prateleiras onde o vinho é torturado.

Não esqueça: guardar vinho só em locais protegidos da luz continuada, para garantir a sua preservação.

Posição

Pode parecer feio, mas é justo dizermos que os melhores vinhos de guarda subiram na horizontal.

Isto porque é na horizontal que as garrafas mantêm o vinho em contacto com a rolha, mantendo-a húmida e dilatada, desse modo impedindo a entrada de oxigénio, que acabaria por adulterar as qualidades do vinho, estragando-o.

Imagine-se, agora, o que sofrem os vinhos nas prateleiras dos hipermercados, meses a fio “em sentido”, prontos para o fuzilamento, com as rolhas a ressecar e as suas qualidades a definhar.

Temperatura

Sorvete é uma coisa, Frango assado é outra – e o vinho não é nenhuma delas. Por isso, não deve ser guardado num congelador, nem dentro de um forno. Metaforicamente, claro.

No meio é que está a virtude e o vinho precisa, precisamente, de isso: temperança. Uma temperatura constante de 12º será o ideal para que o vinho evolua favoravelmente. Calor a mais fará com que o vinho envelheça prematuramente, sendo de evitar temperaturas acima dos 23-24º, pois a partir dessa temperatura o vinho começa a oxidar. Dito isto: lembra-se daquelas garrafas no hipermercado encostadas às luzes quentes dos expositores? Ou das garrafas expostas em vitrines ao sol de algumas garrafeiras “tradicionais”? Agora imagine a agonia do vinho, assim condenado a “torrar” aos poucos.

Ventilação

Guarde o seu vinho num local arejado, sem odor a “mofo” e idealmente sem a presença de outros alimentos com aromas fortes.

Desse modo, impede a contaminação por esses odores, que poderiam passar pela rolha ao longo dos anos.

Vibrações

Para o vinho boas vibrações significa nenhumas vibrações.

Deve, portanto, guardar o seu vinho longe de quaisquer electrodomésticos que tenham acção vibratória frequente, quer sejam frigoríficos, máquinas de lavar, caldeiras, etc.

Pense que o seu vinho de guarda está a dormir um sono de beleza. Não o abane, deixe-o descansar.

Gostou desta receita? Vote, Comente, Partilhe-a com os seus contatos!